quarta-feira, 22 de julho de 2015

COMO ASSIM, ARQUITETURA SUSTENTÁVEL...

Hoje, se ouve falar muito sobre Arquitetura Sustentável ou Bio Arquitetura, mas para a maioria das pessoas estes termos ainda soam com certa desconfiança e questionamento.
Esta postagem é justamente par diminuir as duvidas sobre o assunto...Vamos lá...

Esse movimento surgiu no final da década de 2000 e concentra-se na criação de uma harmonia entre a obra final, o seu processo de construção e o meio ambiente. Pretende evitar em cada um dos passos agressões desnecessárias para o ambiente, otimizando processos de construção, reduzindo os resíduos resultantes, e diminuindo os consumos energéticos do edifício. Tem ainda como objetivo que a construção atinja um nível de conforto térmico e de qualidade do ar adequado, reduzindo assim a necessidade da utilização de sistemas de ventilação ou aquecimento artificiais.


O que é?

O projeto de arquitetura sustentável contesta a idéia do edifício como obra de arte e o compreende como parte do habitat vivo , estreitamente ligado ao sítio, à sociedade, ao clima, a região e ao planeta. Se compromete a difundir maneiras de construir com menor impacto ambiental e maiores ganhos sociais, sem contudo, ser inviável economicamente.

A elaboração de um projeto de arquitetura na busca por uma maior sustentabilidade deve considerar todo o ciclo de vida da edificação, incluindo seu uso, manutenção e sua reciclagem ou demolição. O caminho para a sustentabilidade não é único e muito menos possui receitas, e sim depende do conhecimento e da criatividade de cada parte envolvida.

“É extremamente importante que o profissional tenha em mente que todas as soluções encontradas não são perfeitas, sendo apenas uma tentativa de busca em direção a uma arquitetura mais sustentável. Com o avanço tecnológico sempre surgirão novas soluções mais eficientes.” (YEANG,1999)

De uma forma bem simples podemos dizer que a arquitetura sustentável é uma maneira de conceber o projeto arquitetônico de forma sustentável, procurando otimizar recursos naturais e sistemas de edificação que de tal modo minimizem o impacto ambiental dos edifícios sobre o meio ambiente e seus habitantes.


                                                     Como fazer?
A Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura - AsBEA, o Conselho Brasileiro de Construção Sustentável - CBCS e outras instituições apresentam diversos princípios básicos da construção sustentável, dentre os quais destacamos:

  • Aproveitamento de condições naturais locais;
  • Utilizar mínimo de terreno e integrar-se ao ambiente natural;
  • Implantação e análise do entorno;
  • Não provocar ou reduzir impactos no entorno – paisagem, temperaturas e concentração de calor, sensação de bem-estar;
  • Qualidade ambiental interna e externa;
  • Gestão sustentável da implantação da obra;
  • Adaptar-se às necessidades atuais e futuras dos usuários;
  • Uso de matérias-primas que contribuam com a eco-eficiência do processo;
  • Redução do consumo energético;
  • Redução do consumo de água;
  • Reduzir, reutilizar, reciclar e dispor corretamente os resíduos sólidos;
  • Introduzir inovações tecnológicas sempre que possível e viável;
  • Educação ambiental: conscientização dos envolvidos no processo.

Quais as vantagens?

O projeto sustentável, por ser interdisciplinar e ter premissas mais abrangentes, garante maior cuidado com as soluções propostas, tanto do ponto de vista ambiental quanto dos aspectos sociais, culturais e econômicos.

O resultado final dessa nova arquitetura ecológica, verde e sustentável, proporciona grande vantagem para seus consumidores. Quem não quer ter uma casa saudável, clara, termicamente confortável e que gaste menos água e energia?

A casa ecológica, além de beneficiar o meio ambiente, garante o bem estar de seu usuário (faz bem para a saúde, para o bolso e para o planeta.)

Já a prática da arquitetura sustentável em empreendimentos imobiliários pode ser ainda mais vantajosa, uma oportunidade que não pode ser desperdiçada. Esse nicho de mercado é hoje um diferencial, mas no futuro se tranformará em requisito, pois está dentro da necessidade urgente de melhores indicativos de qualidade de vida.

Os principais benefícios são:
  • redução dos custos de investimento e de operação;
  • imagem, diferenciação e valorização do produto;
  • redução dos riscos;
  • mais produtividade e saúde do usuário;
  • novas oportunidades de negócios;
  • satisfação de fazer a coisa certa.

Custa mais caro?

A adoção de soluções ambientalmente sustentáveis na construção não acarreta em um aumento de preço, principalmente quando adotadas durante as fases de concepção do projeto. Em alguns casos, podem atéreduzir custos. Ainda que o preço de implementação de alguns sistemas ambientalmente sustentáveis em um edifício verde gere um custo cerca de 5% maior do que um edifício convencional, sua utilização pode representar uma economia de 30% de recursos, durante o uso e ocupação do imóvel.

Um sistema de aquecimento solar, por exemplo, se instalado em boas condições de orientação das placas, pode ser pago, pela economia que gera, em apenas um ano de uso. Edifícios que empregam sistema de reuso de água (a água dos chuveiros e lavatórios, após tratamento, volta para abastecer os sanitários e as torneiras das áreas comuns) podem ter uma economia de água da ordem de 35%. Por princípio, a viabilidade econômica é uma das três condições para a sustentabilidade.

O estudo inglês Costing sustainability, “How much does it cost to achieve BREEAM and EcoHomes ratings (2004)”, concluiu que em alguns casos a adoção de estratégias avançadas de sustentabilidade podem inclusive reduzir custos.

“A construção sustentável não custa mais caro, desde que integrada na etapa de concepção do edifício, ou seja, desde a fase de projeto.”
Antônio Setin (presidente da construtora Setin)

“Além de gerar economia, a construção sustentável vai se valorizar. Ou seja, os imóveis sustentáveis terão maior valor de venda e revenda, em poucos anos” Alexandre Melão (Esfera)


Algumas providências são ideais para quem se preocupa com a preservação ambiental. Situar a residência e as janelas de acordo com a trajetória do sol no horizonte e o rumo do vento, é uma delas. Outra precaução que se pode implementar é a utilização de vidros duplos, os quais permitem que o espaço seja adequadamente iluminado durante o dia, sem que o ambiente se torne muito quente; desta forma há uma ampla redução dos custos energéticos. As construções que seguem todos estes procedimentos são recompensadas com um selo, na proporção das medidas acolhidas pelos construtores, que torna o imóvel bem mais valorizado e qualitativo.

Gostaria de destacar que:
A arquitetura sustentável também tem profunda preocupação com o destino correto dos resíduos gerados na própria obra. Para isso, preconiza que os entulhos oriundos da construção podem ser usados como aterros; na fabricação de tijolos e o restante pode ser reciclado de várias outras formas e aplicado de inúmeras maneiras diferentes. Reduzindo os custos e a necessidade de descarte desses resíduos nos aterros sanitários (ou até pior; de forma errada e perigosa para o meio ambiente).



Concordo com a observação feita no site Ecologia Urbana quando comenta que "É mesmo uma pena que essas boas práticas não sejam obrigatórias em nosso país." - só para registrar!


Fontes:
http://www.ecologiaurbana.com.br/residencia-sustentavel/arquitetura-sustentavel/
http://www.infoescola.com/ecologia/arquitetura-sustentavel/
http://arquiteturamaissustentavel.com.br/
http://www.forumdaconstrucao.com.br/conteudo.php?a=23&Cod=1747

segunda-feira, 20 de julho de 2015

RETROFIT ECOLOGICO, PRÉDIOS ANTIGOS COM UMA NOVA ROUPAGEM

Para quem procura por novidades e noticias sobre o tema é bem interessante, mas para quem não também vale a pena ler.

Pesquisando sobre tendências na área da construção civil me deparei com estas reportagens da Revista eletrônica EXAME da Editora Abril (fontes ao final da postagem) dei uma editada para que conseguisse unir as duas, pois uma complementa outra.


O foco da indústria de construção verde continuará a mudar dos novos projetos para a adaptação de edifícios existentes aos padrões sustentáveis. Esta tendência, chamada de retrofit verde, cresce desde 2010 e é um caminho mais rápido para que edifícios antigos e clássicos atinjam um padrão sustentável em comparação à construção de um novo projeto.

Nos Estados Unidos, o mercado da construção sustentável saiu dos míseros U$ 10 bilhões em 2005 para atingir U$ 236 bilhões atualmente. O exemplo de maior destaque é o Empire State Building.

A tendência ganha mais espaço a cada dia. Nos Estados Unidos, o mercado da construção sustentável saiu dos míseros U$ 10 bilhões em 2005 para atingir U$ 236 bilhões atualmente. O exemplo de maior destaque é o Empire State Building.

Os americanos não agiram apenas por preocupação ambiental: como resultado, houve uma redução de 38% com os gastos de energia de um dos prédios mais conhecidos de Nova York, com a expectativa de economia de US$ 4,4 milhões de dólares por ano.


Este movimento, hoje tendência mundial, é uma técnica que consiste na adaptação e na melhoria de edificações já existentes, aproveitando sua parte estrutural para transformá-la por dentro. É um caminho mais rápido para que edifícios antigos e clássicos atinjam um padrão sustentável em comparação à construção de um novo projeto.

No Brasil, o exemplo com maior repercussão é a reforma do estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. Visando a Copa do Mundo 2014, o local conta hoje com placas de energia solar que garantem uma redução de 25% da energia consumida. Melhor: o novo Maracanã reusou boa parte de sua estrutura antiga, um dos preceitos do retrofit.

Benefícios

Existe, primeiro, a questão ambiental. “No Brasil, os edifícios respondem por cerca de 45% do consumo anual de energia de todo o país, por 22% da emissão de CO2 e por 21% do consumo de água potável”, diz Manoel Gameiro, diretor comercial e de produtos aplicados da Trane para América Latina.

E há a economia direta no bolso: com a técnica, o uso de energia diminui cerca de 30% e o de água cai pela metade. É, ainda, uma boa solução comercial, já que pode aumentar em até 10% os valores para venda e locação de empreendimentos.

Acima de tudo, é preciso levar em conta que há uma demanda crescente por novas construções nas grandes cidades sem que haja espaço para tantos novos projetos.

O investimento, é verdade, não é dos mais baratos. “Mas, apesar disso, ele se paga em um curto espaço de tempo”, diz Walter Serer, diretor geral de Soluções Climáticas da Trane Brasil. Dados mostram que a redução dos custos operacionais durante um ano chega a 8%.

O retrofit verde pressupõe que qualquer tipo de atualização em um edifício que já exista pode ajudar na melhora do seu desempenho energético e ambiental. Veja o que pode ser feito:

1) Iluminação

Com o apagão de 2001, as pessoas ficaram mais atentas ao assunto da economia de luz. “Creio que esse tenha sido um divisor de águas para que melhorias energéticas simples pudessem ser feitas em todos os tipos de prédio, principalmente nos residenciais”, diz Serer. Aqui, as possibilidade são a substituição de lâmpadas antigas por equipamentos mais modernos, como lâmpadas de led, sensores de movimento, películas protetoras para diminuição da luz e temperatura do ambiente.



2) Conservação da água

Como este é um dos pontos que causa maior gasto desnecessário nas edificações, é importante haver investimento em equipamentos para redução do fluxo de água, reaproveitando a água da chuva, juntamente com o controle e medição do consumo através da aplicação de medidores. Outra solução é recolher a água das pias de banheiro e da cozinha também para reuso. Elas são levadas a uma pequena estação de tratamento e guardadas em um reservatório para posterior uso em uma tubulação exclusiva para os vasos sanitários.

3) Climatização

As estratégias típicas para melhorar a climatização do ambiente incluem um estudo térmico do edifício para determinar as cargas térmicas de aquecimento e arrefecimento ainda na fase de concepção do projeto. “Para ter êxito, é importante que haja a substituição de equipamentos primários por sistemas mais eficientes e bem dimensionados de acordo com as necessidades do espaço. Isso traz a otimização das unidades terminais, ajuda no balanceamento de aquecimento e na refrigeração dos espaços”, diz Gilbert Simionato, consultor de novos negócios da Empresa Verde Consultoria em Sustentabilidade.

4) Fachada

Aqui é recomendável o uso de vidros espelhados que mantêm a temperatura interna nos dias mais quentes. Para isso, no entanto, é preciso prever mecanismos que permitam a abertura das janelas em determinadas horas do dia, aproveitando, também, a ventilação natural. “Vigas refrigeradas e a aplicação de sistemas de sombreamento controlados por computador também são ótimas alternativas”, explica Simionato.

5) Eficiência energética

Esse é um dos principais focos do retrofit verde. Foi, inclusive, alvo de importantes discussões mundiais, tendo como resultado o pacote ambiental do governo de Barack Obama, que destinou US$ 20 bilhões para o assunto.

Algumas soluções bastante eficientes já tem surgido no mercado brasileiro. “Sabemos que um prédio, ao longo de 50 anos de existência, gasta 15% do orçamento no projeto e na construção e 85% com reformas e manutenção”, conta Gameiro.

Por isso, a preocupação em fazer com que os produtos tragam eficiência energética ao empreendimento sem dar dores de cabeça. Para tanto, as máquinas usadas pelas empresas da área contam com dispositivos eletrônicos que reúnem dados de como estão as variações de pressão, temperatura e quantidade de óleo usado.

“Com isso, o cliente pode avaliar o que deve ser alterado para que continue com a mesma performance sem consumir mais”, finaliza Gameiro.



Espero que tenham gostado do conceito.

Abraços!!


Fonte:
BARBOSA, Vanessa.7 megatendências em construção sustentável para 2014. Revista Exame, 2014. Disponível em:http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/7-megatendencias-em-construcao-sustentavel-para-2014. Acessado em: 06/2015.

HAYDEÉ, Lygia.Retrofit verde ajuda no bolso (e revoluciona seu prédio). Revista Exame, 2013. Disponível em: http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/retrofit-verde-ajuda-no-bolso-e-revoluciona-seu-predio . Acessado em: 06/2015.

sábado, 18 de julho de 2015

RECICLANDO AS FERRAMENTAS E MATERIAIS QUE SOBRAM DA OBRA

Obra acabada! Mas  o pior é ver aquele monte de coisa que sobra indo parar na caçamba ou no lixo.
Muitas coisas ainda podem ser reutilizadas ou recicladas, assim você economiza duas vezes:

-1° Por não jogar fora algo que foi comparado e ainda pode ser usado;
-2° Vai economizar nos itens de decoração do novo ambiente!!!

Abaixo vou deixar algumas imagens que angariei no site de busca de imagens para ilustrar melhor e inspirar vocês...



Primeiro o carrinho de mão, que pode virar uma floreira para o jardim. Basta pintar da forma que acha mais legal e pronto.


As intermináveis latas de tintas e de massa que ficam por toda a parte, podem virar puffs, vasos e baldes de gelo...

Aquela escada horrorosa que você espera nunca mais precisar dela..rss... pode virar um cabideiro bem legal.

Os cavaletes e a porta antiga pode virar uma mesa bem interessante. Fica legal também se colocar um tampo de vidro para usar na sala de jantar.

Aquela mangueira que ficou toda furada e agora você se molha toda quando liga a torneira, independente de onde esteja ou como segure, pode virar um capacho que não se acabará tão cedo.


O serrote que agora não corta nem pão mais, pode virar um item decorativo bem divertido.


Os blocos de concreto, também podem virar floreiras moduladas. Facinho!


Ah...os pedacinhos intermináveis de cano...eles podem virar várias coisas interessantes e exclusivas...


Agora é aproveitar a inspiração, olhar para aquele item que você não faz  a menor ideia do porque ainda tem ele e deixar a criatividade fluir.

Qualquer duvida, comentem.
Abraços!

REUTILIZANDO GARRAFAS DE VIDRO

Se tem uma coisa que acho linda e tenho muita dó de jogar fora são garrafas de vidro. Uma porque sei de tudo que envolve a produção deste item e outra porque enxergo um grande potencial decorativo nelas.
Já postei como aproveitá-las na construção da casa no post "GARRAFAS NA PAREDE", mas fiquei pensando...e quem já construiu a casa...lembrei de várias coisas que já fiz em meus projetos e comecei a garimpar mais ideias, desde que fossem simples, para reutilizar em casa na decoração dos ambientes.
Bem, logo abaixo coloquei algumas imagens bem legais e fáceis de fazer.

Esta ideia é bem simples. Usando fita adesiva e tinta esmalte pode-se fazer coisas bem legais e depois usa-las somente como item decorativo ou colocar uma florzinha e usar como vasinhos...


Esta ideia também pode ser bem interessante já que não requer prática nem tão pouco habilidade..rss...Enrole a foto, coloque dentro da garrafa, amarre um pedaço de pano no gargalo com uma fita ou barbantel. Pronto!!

Um pouco mais elaborada, para executar esta ideia você precisará de uma serra copo para furadeira (para fazer o buraco onde os gargalos vão entrar), depois é só encaixar as garrafas nas tábuas e pronto.

Esta segue a mesma ideia da imagem de cima, só que foi utilizada para fazer uma mesa de centro.

Esta ideia de longe é  a mais charmosa, na minha opinião, porque da uma certa dramatização no cenário do ambiente, fica aconchegante e romântico na medida certa. Tem que cortar o fundo da garrafa (ver no YouTube como cortar garrafa de vidro...é simples) e fazer uma instalação simples com fio de energia e bocal de luz.


Já que já sabe como cortar a garrafa, agora pode pegar aqueles garrafões de vinho para fazer outras luminárias pendentes ou cobertura charmosa para pratos!

Qualquer dúvida, comentem que assim que possível eu respondo...

Abraços!

sexta-feira, 17 de julho de 2015

DETALHES NA CONSTRUÇÃO FEITOS COM CACO DE VIDRO

Hoje me deparei com algumas imagens muito legais de como aproveitar os cacos de vidro na construção, ou reforma da casa.
São ideias lindas e que produzem um efeito muito espacial na decoração do ambiente.
As ideias seguem abaixo:

Olhem este efeito...

Legal, né?! Agora olhem onde está colocado...


Nunca haverá um piso igual ao seu...rss

Aqui ele aparece apenas como um detalhe. Ao invés de usar pastilhas usaram vidro para compor este charmoso lavabo...

Eu particularmente adoro o efeito das pastilhas de vidro. A profundidade, a textura. Isso também é possível fazer com os cacos.
Pinte, respingue tinta, enfim, faça o que quiser e achar que fica bonito na parede. Após cole os cacos de vidro e passe a massa para dar acabamaneto. Dependendo do tipo de massa pode ser aplicado até em áreas molhadas.

Boa sorte!

Abraços...








quinta-feira, 16 de julho de 2015

“ENERGIA RENOVÁVEL” EM CASA

Independente de vocês estarem construindo ou apenas quer dar uma ajudinha para o seu bolso e para o planeta estou colocando neste post dicas de como fazer isso. Vou mostrar equipamentos e técnicas desde as mais simples até mais elaboradas. Não prometo colocar todas as existentes, mas irei citar 3 das existentes que sejam mais fácil de achar e instalar.

Energia Fotovoltaica

Energia fotovoltaica é a energia elétrica obtida a partir de luz solar, e pode ser produzida mesmo em dias nublados. Todavia, quanto maior a intensidade de insolação, maior será a eletricidade produzida.
Esse sistema é confiável e permite uma fonte inesgotável e gratuita de energia. Não produz poluição ou resíduos e pode ser instalado tanto em obras em andamento quanto em construções finalizadas.
O processo de conversão da energia solar utiliza células solares que são constituídas de elementos semicondutores, por exemplo, de silício.
Quando a luz solar incide sobre uma célula solar, os elétrons do material semicondutor são postos em movimento, permitindo que uma corrente elétrica flua, bastando para isso que se tenha um circuito elétrico fechado conectado a um aparelho consumidor de energia, ou à rede elétrica.
Utilizando baterias estacionárias (banco de baterias), pode suprir por até quatro dias de sol insuficiente. Novas instalações poderão ser conectadas à rede de distribuição, dispensando o uso de baterias. Neste modelo, há a compensação entre energia gerada e consumida pela unidade. Saiba mais detalhes sobre instalações domésticas de energia fotovoltaica.
O sistema solar fotovoltaico é diferente do sistema coletor solar térmico, no qual os raios de Sol são usados para gerar calor, geralmente para água quente na casa, piscina e ambientes.


Exemplo ilustrativo:



Energia eólica

Os geradores eólicos (ou aerogeradores e turbinas eólicas) são capazes de produzir continuamente até 4 vezes mais energia que os módulos solares fotovoltaicos. Quando previsto, utiliza baterias para armazenamento de energia, dimensionadas para suprir até 3 dias e noites em que o vento não seja suficiente para o consumo da construção, possibilitando assim autonomia do sistema.
Essa energia pode ser usada em bombeamentos de água, iluminação residencial, comercial ou pública, computadores, televisores, rádios, geladeiras e outros. É confiável, inesgotável e gratuita, além de limpa e sem ruídos.
No entanto, assim como a fotovoltaica, ela não substitui economicamente a energia convencional se esta estiver disponível e não poderá ser utilizada para alimentar sistemas de aquecimento ou resfriamento de água, lâmpadas incandescentes, máquinas de lavar e outros.
 
Exemplo Ilustrativo:




Luz engarrafada

Pode não ser a solução mais esteticamente adequada, mas dependendo da sua necessidade e do local em que queira luz e economia, esta com certeza consegue suprir as duas necessidades.





Vou mostrar aqui algumas imagens que retirei do Google Imagens para dar uma idéia de como fica o resultado.





Qualquer dúvida sobre o assunto podem escrever que responderei prontamente!



Abraços!

MUDANDO A DECORAÇÃO FÁCIL DE VERDADE E BARATO DE VERDADE


Sabe aquela vontade de mudar alguma coisa em casa, dar um charme a mais, organizar o ambiente, mas está sem dinheiro para fazer algo muito legal? Então...Quase certo que entramos na internet e procuramos por "reciclagem, moveis reciclados", entre outros.
Vemos tudo o que gostaríamos de ter e fazer para nossa casa, mas em seguida vemos o passo-a-passo e pensamos assim:
" Não tenho pistola para pintar...não tenho este tipo de prego... não tenho este pincel..." e por aí vai.
Nossa alegria se esvai e ficamos desanimados novamente.
Então resolvi postar hoje sobre como reaproveitar coisas velhas dando novos usos para elas, de maneira fácil - fácil mesmo - e rápida.
Logo abaixo coloquei algumas imagens retiradas do Google Imagens:





























Caixas de frutas envernizadas sem muita atenção e no meio pode ser colocada aquelas latas grandes de tinta, como vazo, e cobrir com pedras legais.




Bem..aquela escada velha pode ficar bem legal como paneleiro na sua cozinha.




Uma veneziana velha que serve como charmoso suporte para seus vasinhos, utilize arame em formato de gancho para pendurar eles e poder move-los de acordo com a necessidade.



Mesa de pallets. Um de cada lado e quem achar perigoso ou muito custoso o vidro pode optar por uma porta antiga!



Apesar de que paciência é uma ferramenta essencial para fazer este...fica muito legal principalmente se usada como luminária de teto ou como abajur.


Esta ideia eu ja fiz aqui em casa, só que coloquei uma telha em cima da outra e não pendurei na parede...rss

Shelves by Outofstock

Esse tá facil...hehehehe

decoupage newspaper furniture

Dando um ar mais contemporâneo naquela mesinha de apoio antiga. Tenha o cuidado de escolher quais páginas do jornal vocês vai colar e paciência, para que fique bem colado. Se tiver a mão passe uma camada de verniz para proteger.

Decoupaged chair

Uma ideia legal para colocar no quarto das crianças. Valem os mesmos cuidados mencionados acima...

DIY desk made from barstools!!
A imagem fala por si.

The room divider – a simple and flexible tool for organizing space
Portas antigas e dobradiças...simples assim!

Keys holding keys!
Sabe aquelas chaves que você nem sabe mais de onde eram? Cole-as com uma cola instantânea em uma pedaço de madeira, coloque uma cordinha legal e pronto! Seu claviculario está pronto.

https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/31/e1/48/31e148498db4bf5c350be95b3340668a.jpg

Embora não seja especificamente o casa desta imagem, pode ser feito com aquela escada velha!

Bem agora é só escrever se tiver dúvida, deixar a criatividade fluir e reaproveitar os restos de obra e materiais de mobiliário velhos ou sem serventia.

Abraços!